Glossário de Termos

Glossário de Termos

Procurando melhorar a vida de seu cliente, A . Naccarati Consultores e Auditores , compilou uma série de termos e conceitos relacionados a área de QUALIDADE , Normas ISO 9001, IATF 16949 , ISO 14001 , e outras ferramentas administrativas coligadas.

Alguns termos possuem variações devidas à tradução e interpretação do original, bem como usos particulares de algumas empresas, portanto verifique por similaridade caso não encontrar o termo que procura.

Este glossário não é um dicionário, mas sim um facilitador em linguagem compreensível, dos termos e conceitos usados pelas empresas de vários ramos, adequadas ao moderno sistema de QUALIDADE, bem como auditores e consultores da área.

A reprodução deste texto, em partes ou integralmente é permitida, desde que citada a fonte , e impresso nosso logotipo.


 Tabela de índice

*A

Ação corretiva: Procedimento realizado pelo fornecedor, contendo um relatório formal e uma série de atitudes de correção e prevenção de erros encontrados por uma auditoria, ou oriundos de um relatório de não conformidade interno ou do cliente.

Administração Taylorista : Ou científica, data do início do século, e adapta-se bem à mão-de-obra desqualificada e analfabeta, traduzindo as tarefas em pequenas partes facilmente aprendidas e repetidas . Tem como grande desvantagem a pouca flexibilidade da produção.

Administração Holística ou Humanista: Ou ainda Participativa, baseia-se no homem como centro do sistema produtivo. É rica em manobras motivacionais, fazendo que cada pessoa envolvida seja um entusiasta da empresa. O chefe passa a ser o facilitador do trabalho, ensinando e dando condições . Atualmente representa o melhor caminho para a QUALIDADE.

Administração Orientada para Processos: Estilo de administração que enfatiza as pessoas e processos sabendo que os resultados de médio e longo prazo dependem destes fatores.

Administração Orientada para Resultados: Estilo de administração que enfatiza somente resultados conseguidos. Seu principal perigo é valorizar resultados passageiros em detrimento sistema mais lucrativo de médio prazo.

Ambiente: Local onde é executada a atividade da empresa, pode estar relacionado à condições de temperatura e umidade, quantidade de partículas permissíveis etc... em um dado processo produtivo.

Ambiente 5S's : Estado particular que um ambiente encontra-se , seguindo as regras do 5S's . É considerado o Estado-De-Arte da organização, arrumação e limpeza em um ambiente.

Amostra: Peça , lote ou serviço , que tem a finalidade de demonstrar a situação de fornecimento, ou de produção. O critério de produção e retirada de amostras varia com a sua finalidade.

Amostra Inicial: Primeiro lote, ou peça, ou serviço inicial, que tem por finalidade demonstrar a capacidade do processo em realizar seus objetivos. Normalmente o cliente só aprova os contratos de compra após aprovação da amostra inicial, em geral sem custos para ele. Normalmente são usadas quando trata-se de pequenas porções de peças, ou produção unitária.

Andon: Painel luminoso desenvolvido pela Toyota , que tem por finalidade fazer um controle visual imediato de todos os problemas que acontecem na fábrica.

Auditoria: Ato de se examinar a fundo uma empresa, processo, peça, serviço etc... com a finalidade de se emitir um laudo de conformidade ou procurar alguma irregularidade em relação a um padrão conhecido.

*B

Bottom-up: Mostra o sentido que alguma ordem , implementação ou mudança é realizada dentro da empresa, neste caso, dos operários para a direção. Seu inverso é Top-down

*C

Característica crítica: característica ou especificação do produto, definida pelo cliente ou fornecedor; cujo desvio, além da tolerância especificada, coloque em risco pessoas, ou ficar em desacordo com o normas governamentais.

Característica significativa: característica ou especificação do produto, definida pelo cliente ou fornecedor; cujo desvio além da tolerância especificada, acarreta problemas no produto, como mau funcionamento, redução de vida útil, ou ainda gera problemas em processos subseqüentes.

Cartas de Controle: Conjunto de gráficos demonstrativos de um resultado estatístico , levantado por CEP , em um lote de peças.

Célula ou Lay-out Celular: Disposição das máquinas operatrizes em uma produção, em volta de um ou mais operadores, normalmente em formato de "U ", onde o operador começa e termina a peça, operando várias máquinas.

CEP Controle Estatístico de Processo: Técnica estatística que , através de levantamentos, procura detectar tendências de erro ou acerto no processo, além de fornecer outros parâmetros importantes como capacidade de processo e de máquinas. Estima a competência da fabricação.

Ciclo de Deming: Metodologia de implementação de novas idéias e resolução de problemas. Sua seqüência é conhecida como PDCA (Planejar , Desenvolver, Controlar e Agir.) Forma um circulo vicioso onde só existe saída quando o problema ou o objetivo é conseguido.

ClienteParte compradora de um contrato de fornecimento. Geralmente é quem determina as especificações do produto.

Cliente Externo: O cliente no sentido mais antigo do termo, aquele que compra de outro, e por isto paga o preço estipulado.

Cliente Interno: Assim como o externo, este também recebe um produto, porém internamente em uma empresa para , por exemplo , realizar outra fase de fabricação.

Colaboradores: Referência às pessoas envolvidas no processo de QUALIDADE, em geral, funcionários, chefes, colegas de trabalho em geral. Pode-se estender o conceito para fornecedores e terceiros.

Conformidade: propriedade de documentos, processos, ou produtos , de estarem de acordo com um padrão pré-estabelecido. O objetivo de implementar uma ISO 9000 em uma empresa, por exemplo, é deixar a empresa em questão, em conformidade com aquela Norma.

Consultoria: Ato de se prestar informações úteis e dirimir dificuldades para alguém ou alguma empresa. A melhor opção é a A . Naccarati consultores!

Continuous Improvements: o mesmo que Kaizen

CpK: Índice de capacidade do processo, mede a centralização das medidas obtidas em relação à tolerância e a capacidade em se manter assim no decorrer da produção futura.

CQ: Sigla : Controle de QUALIDADE: Este termo pode ser dividido em dois períodos, antes e depois da moderna concepção de QUALIDADE. Antigo: Sistema da empresa capaz de filtrar materiais defeitosos antes de chegar ao cliente. MODERNO : Sistema de meios para fazer , economicamente, produtos ou serviços que satisfaçam as necessidades do consumidor.

Curva Normal ou de Gauss: Curva estatística que define a área onde encontramos a ocorrência da maior parte dos dados obtidos , quando seu comportamento é estável, e sua variação só depende de valores aleatórios.

 *D

Desperdício : Tudo o que não acrescenta valor ao meu produto de venda como perdas de tempo, capital, peças , energia etc...

Desvio-Padrão: ou Sigma: índice estatístico que mede a variação natural dos dados , devido à causas aleatórias, dando por conseqüência a abertura da curva normal.

Downsizing: Técnica de redução do tamanho da empresa, controlada, para aumentar a lucratividade. Caracteriza-se por diminuição de mão-de-obra, clientes, inventário e fornecedores programados.

*E

Espinha de peixe : Ver diagrama dos 7M's

*F

FA: Sigla: Factory Automation: Ver Jidoka

FIFO: sigla : First In First Out: Técnica de almoxarifado, que estabelece que o primeiro ítem estocado deve ser o primeiro a sair, visa o não envelhecimento de ítens no estoque .

FMEA: sigla : Failure Mode and Effect Analysis ou análise de Modo e efeito da falha. Técnica de estudo que analisa um desvio ou falha de produção que pode ocorrer (estudo antecipado de falhas) e procura meios para evitá-la.

FMS : Sigla: Flexible Manufactoring System : Sistema de produção onde a mudança de operação é rápida e fácil, com pouco tempo de set-up.

Fornecedor: Quem vende o produto ao cliente. Normalmente quem atende as especificações de quem compra.

*G

Gráfico de barras : Ver Histograma

*H

Histograma: Gráfico composto por duas linha perpendiculares onde a altura representa o valor da grandeza, e as grandezas são colocadas na linha horizontal. Sobre cada uma levanta-se uma barra que termina na altura relativa ao valor de sua grandeza. Conhecido também como gráfico de barras.

*I

Inspeção: Forma de controle de QUALIDADE que realiza uma comparação das medidas conseguidas na peça, com as especificadas para fabricação, simplesmente aprovando ou não o inspecionado. Muito aplicado em produtos vindos do fornecedor.

Inventário: Entende-se como sendo o total , em valor moeda, de todas os produtos que estão no momento dentro da empresa, e que após vendidos, transformam-se em capital. Ex: o valor dos veículos semi-acabados ou acabados na fábrica ou no páteo da montadora. Uma empresa com grande inventário sofre financeiramente. O inventário é combatido pelo JIT.

*J

Jidoka: Termo criado na Toyota para descrever o sistema de produção onde a máquina é projetada para parar sempre que uma peça com defeito é produzida. Pode ser traduzida como automação.

JIT : sigla: Just-In-Time: Filosofia de origem nipônica de gerenciamento e planejamento de produção, garantindo que o material certo chegue na hora certa e no lugar correto, na quantidade exata e com a QUALIDADE requerida.

*K

Kaizen : Técnica japonesa que visa proporcionar uma melhoria contínua em uma empresa, tornando-a uma eterna fonte de descobertas e melhoramentos. Baseia-se no fato de que nada está bom, apenas ficou melhor. Muitos estudiosos afirmam que nisto reside a razão do sucesso japonês.

Kanban: Técnica de programação de produção, de origem japonesa, onde os próprios operadores controlam as necessidades de produção e prioridades através de um quadro com cartões ou fichas.

*L

Lead Time: Freqüentemente associado ao tempo total decorrido desde a entrada do pedido na fábrica até a saída do produto final . Quanto mais eficiente a produção, menor seu Lead time.

LIC: Sigla: Linha Inferior de Controle: linha pertencente a um gráfico de CEP, que define os valores máximos de uma medida, para que o processo que a definiu seja considerado estável.

LIE: Sigla : Linha Inferior de Especificação : linha pertencente a um gráfico de CEP , que indica os valores mínimos da tolerância especificada pelo projeto, de uma medida. Valores abaixo desta caracterizam não-conformidade.

Lote Piloto: Quando tratar-se de produção seriada, o lote piloto é uma amostra inicial, que contém todas as características fabris dos outros posteriores, e serve de base para análise do cliente.

LSC: sigla: Linha Superior de Controle : linha pertencente a um gráfico de CEP, que define os valores máximos de uma medida, para que o processo que a definiu seja considerado estável.

LSE: sigla: Linha superior de especificação: linha pertencente a um gráfico de CEP , que indica os valores máximos da tolerância especificada pelo projeto, de uma medida. Valores acima desta caracterizam não-conformidade.

*M

Make to Order: Sistema de produção onde a fabricação ocorre somente com o pedido formalizado. Pode ser entendido como produção unitária, embora diferencie-se, quando a linha de produção seriada, ativa-se somente com o pedido do cliente, desativando-se depois.

Malcom Baldrige : Prêmio americano criado no governo Regan dado à empresas que atigiram seus requisitos. É tido como roteiro básico para implementação do TQM. Acredita-se que uma empresa que possua a ISO 9001( até 1996) atenda apenas 20% de suas exigências .

Manutenção Corretiva: Espécie de manutenção onde o equipamento está defeituoso e deixa de funcionar. É o conceito do reparo. É prejudicial à produção por não poder ser programada , acontece junto com uma parada da produção.

Manutenção Preditiva: Espécie de manutenção onde os componentes de uma máquina são substituídos em períodos pré-programados, baseados em estudos e históricos de cada componente, aproveitando ao máximo sua vida útil, e trocando-os antes de entrarem em colapso.

Manutenção Preventiva: Espécie de manutenção onde os componentes são trocados antes da quebra, mediante programação estabelecida por prazos de troca recomendados por fabricantes dos componentes e máquinas. A contrário da Preditiva , a Preventiva não considera históricos particulares, não aproveitando ao máximo os componentes. Entende-se também por preventiva, reapertos, lubrificação, desobstrução, limpeza, desentupimento etc ...

MPT: sigla: manutenção produtiva total: Visa a maximização da eficiência total do equipamento durante a vida útil deste, além de efetivamente aumentar esta vida. Envolve todos os departamentos, seja com novas técnicas , seja com motivação e treinamento.

*N

Não-produtivo: serviço ou pessoa da empresa não ligada diretamente ao produto de venda da empresa, caracteriza-se por trabalhos auxiliares e paralelos. Ex: o contador é um funcionário não-produtivo porque não opera a máquina que faz meu produto.

Não-conforme: Estado de um produto, documento, processo etc.. que caracteriza um desvio em relação a um padrão pré - estabelecido. Diz-se que uma peça está não-conforme por exemplo, se está com medidas diferentes da especificada em desenho.

*O

Outlier: Ver produto não-conforme

*P

Pareto: Diagrama de Pareto, ferramenta utilizada em CEP para determinação de prioridades ou evidenciar proporções entre dados. Trata-se de um histograma , colocado em ordem decrescente.

PDCA: ver ciclo de Deming

Plano de controle do fornecedor: Ver plano de QUALIDADE

Plano de QUALIDADE: documento formal, elaborado pelo fornecedor, descrevendo os controles e suas extensões, e como são implementados, executados e conferidos, para assegurar a conformidade dos produtos com o especificado e aprovado pelo cliente.

Poka-Yoke: Dispositivo colocado na máquina, que, ao acontecer um defeito, pára a máquina e soa um alarme avisando o operador do ocorrido. Geralmente um poka-yoke consegue fazer uma inspeção 100% na fase onde é aplicado.

Pop's : Sigla: procedimentos operacionais padrão: São os procedimentos que orientam cada atividade produtiva da empresa. A ISO 9000 exige que estes sejam formais e documentados.

Primeiro Lote Produtivo: Na produção em série é o primeiro lote fabricado pelo método definitivo de produção, ao contrário do lote piloto que pode ser feito antes da montagem da linha final.

Produtividade: Índice que é definido como sendo o valor que uma produção realiza por um período de tempo.

Produtivo: Diz-se do serviço ou pessoa da empresa, ligada diretamente ao produto que a empresa comercializa. Ex: o torno mecânico é uma máquina produtiva porque faz os parafusos que eu vendo.

Produto não-conforme: Produto fora da especificação inicial , seja dimensional (medidas etc.. ) ou administrativas (preço, prazo de entrega etc...)

Produção seriada: Produção em média e grande escala de determinado ítem. Utiliza conceitos de alta produtividade como troca rápida de ferramentas etc...

Produção unitária: Produção em pequena escala, ou de apenas uma peça / serviço. Ex: as ferramentarias produzem peças por encomenda ou amostra , e caracterizam-se por este tipo de produção.

*Q

QAPPU : Sigla: QUALIDADE , Atendimento, Preço, Prazo e Uniformidade.

QCP: sigla: QUALIDADE, Custo e Programação : Conhecida como Segunda meta da empresa, abaixo do lucro. Considera-se que o QCP é fator fundamental para atingir a meta-mor que é o lucro.

*R

R&R: Repetibilidade e Reprodutibilidade : estudo de R&R: é feito em instrumentos de medição e indica a capacidade do conjunto instrumento + método + operador em realizar medições confiáveis em relação ao exigido pelo processo.

RNC : Sigla : relatório de não-conformidade : Relatório emitido pelo cliente ou pelo fornecedor , descrevendo uma não-conformidade ou um desvio em relação ao padrão. Normalmente é precedido de uma ação corretiva.

*S

Set-up: Preparação de uma máquina ou equipamento para entrar em produção. Diz-se tempo de Set-up o tempo gasto para "montar" as máquinas para produzir determinado ítem.

Set-up externo: Preparação de uma máquina ou equipamento para produção, que NÃO necessita a máquina parada. Ex: programação para o CNC feita em um laptop, durante a programação o CNC poderá estar realizando outro trabalho.

Set-up interno: Preparação de uma máquina ou equipamento para produção, que necessita da máquina estar parada . Ex: Colocação de ferramentas em um torno revólver.

SPC: sigla: Statistical Process Control: Ver CEP

Sub-fornecedor: Empresa que faz parte do processo de fabricação do fornecedor, ou ainda executa atividade paralela ao produto do fornecedor, sendo sempre contratada por este. Em qualquer caso, para o cliente o trabalho do sub-fornecedor é de responsabilidade do fornecedor. Ex: Cliente: montadora , Fornecedor: monta o painel de instrumentos do carro, Sub-fornecedor: fabrica o instrumento que vai no painel.

*T

TCM: sigla: Total Cost Management: Gerenciamento total de custos: tem como premissa básica, o acompanhamento total dos custos de uma empresa, gerenciando para baixar desperdícios e relocar recursos para áreas prioritárias. É muito utilizada para gerenciamento de custos da não-QUALIDADE.

Top-down: Mostra o sentido que alguma ordem , implementação ou mudança é realizada dentro da empresa, neste caso, da direção para os operários. Seu inverso é Bottom-up

TQC : sigla: Total Quality Control: Técnica onde a QUALIDADE não pertence mais a só departamento, mas sim responsabilidade de seu presidente e dever de todos, fazendo certo pela primeira vez, e fundamentalmente comprometido com o cliente.

TQM : sigla: Total Quality Management: Gerenciamento de QUALIDADE Total; é um conjunto completo de ações que a empresa toma, abrangendo desde a concepção do produto até a eventual assistência técnica, envolvendo todos, todos os setores e serviços auxiliares, externos e internos, em prol da total e expressiva satisfação do cliente.

TRF: sigla: Troca Rápida de Ferramenta: Sistema de set-up de máquina, onde existe um dispositivo capaz de efetuar a troca de ferramenta e regulagem de máquina em uma só operação, em apenas alguns segundos. Fundamenta-se na preparação do dispositivo fora da máquina, não interrompendo a produção.

*W

Warusa-Kagen : Termo de origem japonesa que define algo que , embora esteja funcionando , é uma base potencial de problemas futuros. Em outras palavras é o ponto de partida da melhoria. Em geral é o operário que primeiro o percebe.

*Z

ZD : Sigla: Zero Defeitos: Objetivo de toda produção com QUALIDADE . Técnica que busca produção controlada 100%.

*Outros

5S's : Técnica japonesa para organização das pessoas e da empresa. Significa: SEIRI(organização) SEITON (arrumação) SEISO (Limpeza) SEIKETSU (padronização) e SHITSUKE (disciplina)

7M's: Diagrama dos 7m's: Trata-se de uma técnica gráfica utilizada para se rastrear possíveis causadores de problemas. Conhecido também como diagrama espinha de peixe, apresenta sete áreas de causa, ligadas a um possível efeito por elas produzida. Estas áreas podem variar de acordo com a empresa e a atividade .

7Q's e as 7 Novas: São sete ferramentas estatísticas , chamadas de sete Q's somadas a outras sete adicionais, indispensáveis no controle total da QUALIDADE: TQC